Aprenda a fazer um mapa de riscos e evite acidentes de trabalho


Se você atua na área de segurança do trabalho e anda buscando alguma ideia para inovar em seu serviço, está na hora de conhecer melhor o mapa de riscos. Essa é uma ferramenta bem interessante para empresas e gestores que buscam diminuir os acidentes de trabalho em seu cotidiano.

O mapa de riscos contra os acidentes de trabalho

Desenvolvido na Itália nos anos 60, o mapa de riscos foi mais divulgado em nosso país por causa da crescente industrialização ocorrida na da década de 70.

Trata-se de uma ferramenta que oferece uma visualização intuitiva dos potenciais riscos no desenvolvimento do trabalho por parte dos funcionários de uma empresa.

Ele é uma peça-chave na segurança para diminuir o grau de riscos e deve constar em toda empresa que apresentar qualquer tipo de riscos de trabalho, independentemente do seu tamanho ou segmento. Por isso, se sua empresa ainda não tem um, é bom reconsiderar sobre a necessidade de resolver essa pendência.

Com indicações padronizadas e de rápido entendimento, seu objetivo principal é, depois de um estudo prévio e bem orientado, mostrar a todos que costumam atuar em determinadas áreas quais os riscos mais elevados de acidentes ou do desenvolvimento de doenças decorrentes do trabalho.

Regulamentação e responsabilidades

A Comissão Interna de Prevenção a Acidentes (CIPA) tem a responsabilidade de elaborar o mapa de riscos perante a NR 5. Também de acordo com a normativa, cabe multa à empresa que não tiver um mapa de riscos.

Para mais detalhes sobre essa legislação, sugerimos que você dê uma olhada nos itens 5.16 e 1.7, Letra A da NR 5. Além disso, um curso na área de segurança do trabalho pode te capacitar ainda mais para a função.

Ainda sobre a confecção do seu mapa de riscos para evitar acidentes de trabalho e doenças correlatas, é importante que você busque apoio na hora de confeccioná-lo. Além de envolver o pessoal da CIPA, você deve buscar a equipe do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT).

Todos os dois grupos já passaram por experiências de trabalhos anteriores e conseguem levantar mais estatísticas sobre o mundo dos acidentes de trabalho, o que ajuda bastante na hora de desenvolver um plano de prevenção a acidentes.

No desenvolvimento do seu mapa de riscos é muito importante que você busque ainda a participação de mais dois grupos diretamente envolvidos no assunto: seu pessoal de casa mais experiente e também os funcionários que vivenciam o ambiente.

Juntamente aos registros dos acidentes de trabalho que possam ter acontecido em sua empresa, o pessoal com mais tempo no negócio poderá detalhar melhor os casos que conhecem e trazer informações que talvez não tenham sido propriamente registradas, mas que serão úteis na elaboração do seu mapa de riscos.

Quanto aos colaboradores que atualmente exercem funções dentro da planta, eles são muito importantes para oferecer impressões sobre o que reparam na rotina do trabalho.

Esses depoimentos, com certeza, vão corroborar com algumas impressões sobre os perigos iminentes que talvez você já tenha considerado ou oferecer pistas de novas ameaças ainda não listadas.

Considerando toda essa experiência conjunta com a metodologia já conhecida e experimentada da ferramenta e com um bom cruzamento de informações da sua folha de pessoal, que vai trazer detalhes à tona como idade, gênero, ferramentas utilizadas e função, você terá em mãos tudo o que é necessário para o desenvolvimento de um bom mapa de riscos.

A criação do seu mapa de riscos

Levantadas as informações relevantes para a tarefa, é chegada a hora da efetiva criação do seu mapa. Para isso, ter uma planta baixa da empresa é uma ótima ideia, mas se não houver, tudo bem: um croqui resolve.

Para ficar de fácil entendimento, o mapa de riscos trabalha com informações gráficas alterando tamanhos de formas e cores.

Utilizando o croqui ou planta da empresa, identifique as áreas onde existem os riscos. A classificação deles será dada pelas seguintes cores:

1. Grupo de riscos físicos (VERDE): vibrações, radiação ionizante e não ionizante, calor, frio, umidade e pressões anormais.

2. Grupo de riscos químicos (VERMELHO): neblinas, gases, vapores, poeiras, fumos, substâncias compostas e produtos químicos em geral.

3. Grupo de riscos biológicos (MARROM): bactérias, vírus, parasitas, bactérias e bacilos.

4. Grupo de riscos ergonômicos (AMARELO): levantamento e transporte manual de peso, controle rígido de produtividade, esforço físico intenso, imposição de ritmos excessivos, trabalho em turno noturno, monotonia e repetitividade, jornadas de trabalho prolongadas e outras situações provocadoras de estresses psíquico e físico.

5. Grupo de riscos de acidentes (AZUL): máquinas e equipamentos sem proteção, iluminação inadequada, probabilidade de incêndios ou explosões, animais peçonhentos, arranjo físico inadequado, armazenamento inadequado e outras situações que possam acabar em acidentes.

Para identificar na sua planta a gravidade do risco correspondente a cada cor conforme indicada, você deverá incluir círculos com tamanhos diferentes e nas cores dos riscos relacionados. Para os riscos de acidentes de trabalho menos expressivos, coloque um círculo pequeno.

Em locais onde as chances de acidades e doenças de trabalho são razoáveis, utilize círculos medianos. As regiões onde os riscos forem maiores deverão ser indicadas com círculos maiores.

Utilizando tais proporções de tamanhos dos círculos com a atenção que deve ser dada a cada ameaça e o tipo de perigo indicado pela cor, somente falta fazer uma coisa: escrever exatamente qual o risco indicado no mapa.

Assim, se uma área for identificada com um círculo verde (riscos físicos), é importante que você coloque, por exemplo, a palavra “calor”. Dessa maneira, todos saberão que há alguma chance de acidentes naquela área por queimaduras físicas.

Depois de feito todo o trabalho, é muito importante que você cuide para que cada mapa de risco seja afixado nas áreas correspondentes e que todos os funcionários sejam informados de como eles identificam os riscos daquele setor.

A divulgação dessas informações deve ser muito bem-feita. Do contrário, o esforço não poderá atingir seu principal objetivo que é evitar acidentes de trabalho.

Sobre a Realiza Soluções em Medicina e Segurança do Trabalho

Localizada estrategicamente no centro de Porto Alegre, atuamos nos mais variados segmentos de mercado, oferecendo soluções customizadas para um eficiente atendimento das inúmeras necessidades das empresas nas áreas de saúde e segurança do trabalho, qualidade e meio ambiente.

Para contemplar as exigências da Portaria, oferecemos os seguintes serviços especializados:

- Treinamentos de Segurança do Trabalho

- Medições quantitativas

- PPRA

- LTCAT

- PPP

- PCMSO

- Exames

Para mais informações, entre em contato conosco pelo telefone (51) 3224.0032 ou pelo e-mail comercial@realizaconsultoria.com.br.

Fonte: Mastt

Recent Posts
Archive

Grupo Realiza - Saúde e Segurança do Trabalho, Consultoria e Treinamentos

Rua Alberto Bins, 658/402

Centro - Porto Alegre/RS

comercial@realizaconsultoria.com.br

Tel: (51) 3224-0032

       (51) 99266-3248

whats branco.png
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • LinkedIn Social Icon

© 2020 | Grupo Realiza